terça-feira, 30 de novembro de 2010

Neve na Europa

Homem corre em caminho coberto pela neve (Hexham, Inglaterra) - Fonte: Portal Terra

Neve na Europa

Mulher caminha em ponte próxima ao rio Spitzingsee (Alemanha) - Fonte: Portal Terra

Neve na Europa

Amanhecer gelado na região de Oberbuestchschel (Suíça) - Fonte: Portal Terra

Dom Luís Orione - uma vida em imagens

Brasil, Outubro de 1921. Dom Orione, desde Agosto, se encontra no Brasil para visitar seus missionários, aconselhá-los e ajudá-los com novas obras também na Argentina: abre escolas, casa para menores abandonados, paróquias, interessando-se muito pelos imigrantes itlaianos, longe da pátria e tentados na fé pelas seitas e a miséria.
No Brasil  permanece por onze meses, preocupando-se sobretudo em salvar as crianças de origem negra. "Chorava - dirá mais tarde - ao ver aquele povo sem sacerdote para batizar os seus filhos, confortar os doentes, abençoar os túmulos de seus falecidos... Se lá vão os exploradores de ouro, por que não deve ir o sacerdote de Cristo para as almas?" (p. 70) 

Parabéns aos aniversariantes de hoje:
Pe. Ademar José dos Santos (N)
Pe. Jorge Luiz Gonçalves de Lima (N)

Missa vocacional




Fotos da Missa Vocacional que tivemos na Paróquia em Cocal do Sul, SC (Diocese de Criciúma) no dia 28 deste mês. Foi a última do ano. Esteve presente a Pastoral Vocacional dando o apoio para que o trabalho poça dar mais frutos (Cl. Carlos dos Santos, de Siderópolis, SC)

Diácono Marialdo e o Papa




"Partilho um momento especial e unico ... foi na primeiras vesperas do Advento na basilica de Sao Pedro ... é dificil de descrever tamanha Graça, tamanha Unção, tamanha Alegria e não poderia deixar você de fora deste envento maravilhoso de kairos em minha vocação ... " (Dc. Marialdo de Assis da Cruz)

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Dom Luís Orione - uma vida em imagens



Tortona, 29 de Agosto de 1920. Sobre a Colina Romana, da qual Tortona se defendeu pelos séculos, sobe a grandiosa procissão de Nossa Senhora da Guarda que afirma a fé em Deus e na proteção de Maria. Dom Orione, do alto da torre, abençoa a cidade e a Itália. "Tortona cristã era lá o castelo - escreveu - todos os nossos vivos e mortos pareciam estar reunidos ali onde viveram e, pelas mais sagradas liberdades da fé e da pátria, rezaram, e caíram os nossos antepassados... Quem chorava, quem, ajoelhado por terra, levantava as mãos ao céu, e quem jurava amor a Deus, aos irmãos, a Maria!...". (p. 69)
Parabéns ao aniversariante de hoje:
Nv. Evanildo Gomes (N)

domingo, 28 de novembro de 2010

Dom Paulo Arns: 65 anos de Sacerdócio





Dom Paulo Evaristo Arns comemora 65 anos de sacerdócio

A Catedral da Sé, em São Paulo, ficou lotada nesse sábado, 27, para a missa dos 65 anos de ordenação sacerdotal do arcebispo emérito de São Paulo, cardeal dom Paulo Evaristo Arns. A cerimônia foi presidida pelo cardeal arcebispo dom Odilo Pedro Scherer, concelebrada por 25 bispos e mais de uma centena de padres.

O papa Bento XVI enviou uma mensagem de congratulação ao cardeal e destacou os 28 anos em que dom Paulo esteve à frente da Arquidiocese. O papa manifestou “gratidão eclesial pela sua vida de doação com Cristo à humanidade e com votos de poder consumá-la até ao fim na alegria, serenidade e confiança do Amor divino”.
“Quero expressar a alegria de toda a nossa Arquidiocese pelo dom de sua vida”, disse dom Odilo ao saudar o jubilando. “Que o exemplo de dom Paulo seja estímulo para os fiéis e para os padres”, acrescentou. Dom Odilo presenteou o cardeal Arns com uma imagem do apóstolo São Paulo.

Dom Paulo agradeceu a homenagem. “Deus lhes pague por terem vindo!". Ele recordou que no dia de sua ordenação sacerdotal, 30 de novembro de 1945, havia apenas dois convidados. “Agora, a catedral está cheia”, disse sob os aplausos da multidão.

Dom Paulo também relembrou os primeiros 20 anos de ministério na Ordem dos Frades Menores (franciscanos), “sempre dedicados à própria formação e à formação dos futuros padres”. Ele pontuou três coisas que considera essenciais para um bom exercício do ministério presbiteral: sempre levar Bíblia às pessoas; cuidar bem da liturgia e, a que considerou mais importante, “o padre deve conduzir os cristãos para a verdadeira meta, que é o encontro com Cristo, com o irmão, com o amor que não acaba”.

Aos 89 anos, dom Paulo relatou que celebra a missa todas as manhãs, lê dois jornais por dia e, semanalmente, responde às diversas correspondências que recebe.

O bispo emérito de Catanduva, dom Antônio Celso Queiroz, que foi auxiliar da Arquidiocese no período de dom Paulo, destacou que o cardeal ajudou a Igreja de São Paulo a viver aquilo que o seu lema episcopal diz – “De esperança em esperança”.

“Fiel ao seu lema, o senhor nos ajudou a viver a esperança. E nos ajudou através de sua vida, não se deixando abater pelas contrariedades do mundo [...]. Quem de nós não percebeu, um dia, sua mão paterna sobre o ombro, enquanto ouvia de sua boca: ‘Coragem! Anime-se!’”, lembrou.

O bispo ainda recordou que não apenas os bispos e padres experimentavam o seu apoio, mas os pobres nas favelas, nos cárceres, mesmo os que não pertenciam à Igreja, mas buscavam a prática do bem. “Nunca esquecemos de suas palavras repetidas tantas vezes: ‘Para lutar pelos pobres, pelos Direitos Humanos, é preciso aceitar sofrer um pouco’”.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, também saudou o aniversariante, “procurando expressar o sentimento dos 11 milhões de brasileiros que moram na cidade de São Paulo”. “Quem pode esquecer a sua luta contra as desigualdades, a favor da democracia, junto aos pobres. A sua luta valeu a pena. Graças a pessoas como o senhor, líder importante, nós temos hoje um Brasil melhor”, disse. O vice-presidente da República, que está internado para uma nova cirurgia por causa de um câncer na região abdominal, escreveu uma carta manifestando o seu desejo de estar na celebração.

Representando os leigos da Arquidiocese, Francisco Whitaker, que iniciou com dom Paulo a Pastoral de Fé e Política da Arquidiocese, saudou o jubilando. Ele destacou a luta de dom Paulo contra o regime militar, sobretudo “contra a tortura dos que aqui resistiam”. “Por esse trabalho que tanto nos enriqueceu espiritualmente, nunca agradeceremos suficientemente”, afirmou.

Fonte: CNBB/Arquidiocese de São Paulo

Fotos: Luciney Martins

Dom Luís Orione - uma vida em imagens



Nos idos do ano 1000, em São Bernardino tinha uma igreja de Nossa Senhora das Graças: em 1418 o próprio São Bernardino de Sena fez aí a sua pregação, daí o nome do bairro. Depois, uma imagem de Nossa Senhora, pintada sobre um pilar de ponte, começou a conceder graças: um pobre andarilho foi visto rezar e num instante jogar para os ares as muletas e ficar curado. Assim, em 1607, surgiu uma grande igreja, da qual fazia parte a capela pequena que está atrás do atual Templo da Guarda. "Onde passam os santos - dizia Dom Orione - reflorescem, através dos tempos, a piedade, a religião, a fé: nos passos de São Bernardino refloresceu a devoção a Nossa Senhora...". (p. 68)
Hoje começa novo ano litúrgico (Tempo do Advento)

sábado, 27 de novembro de 2010

Mensagem do Provincial Pe. Aparecido

FELIZ NATAL
BOM ANO DE 2011 PARA TODOS

Com a graça de Deus fazemos história, construímos a vida, onde cada um se encontra, com amor, entrega total e muita dedicação, própria dos Orionitas, ora na alegria, ora na dor, com sacrifícios, levando Jesus às crianças, jovens e adultos, nas nossas paróquias e testemunhando a Caridade (“Só a Caridade Salvará o Mundo”) que constitui a presença de Deus na caminhada da humanidade. Isso é Natal.
Que 2011 seja um ano cheio de Deus para nós religiosos com conversão ao Senhor a partir das novas comunidades onde seremos chamados, como para todo o povo de Deus. Isso é ter um bom Ano de 2011.

FELIZ NATAL, BOM ANO DE 2011 PARA TODOS!
TRANSFERENCIAS: toda transferência é um momento de desafio, desafio para quem parte e para quem fica, como para quem chega.
É o exercício do voto de pobreza. É um ato profundo da pobreza assumido como voto.
Deixa os amigos, sucessos, realizações, estruturas, a comunidade, seguranças, bem estar e recursos. O religioso parte com a mala e alguns objetos, o resto fica tudo para trás.
É hora da renúncia. E vamos para lugares conhecidos ou desconhecidos para continuar o projeto que outro religioso está deixando. Seja uma obra como uma paróquia. Pode ser em situação não tão boa, como em ótimo encaminhamento.
Certamente nos renovamos com as mudanças. É também momento de liberdade, de Graça de Deus, novos amigos, superação de situações viciosas, novo trabalho e nova comunidade. Tudo isso é um ganho. “É dando que se recebe”.

É HORA DE MUDAR: agora em Novembro, depois de 10 meses falando com os religiosos sobre o novo triênio 2011- 2013 chegamos no momento em que o governo provincial oficializou a destinação de todos os que serão transferidos.
Já foram aprovados todos os diretores de comunidades religiosas no Conselho provincial, tendo sido encaminhados à Roma para a oficialização. Queremos neste triênio valorizar o papel importante do diretor de comunidade, como ponto fundamental para criarmos uma unidade de trabalho na província: na oração, nos trabalhos e na vivência dos votos. A comunidade religiosa é o lugar onde vivemos, construímos a nossa família e dever ser o lugar onde devemos ser felizes.
Também foram aprovados os diretores ecônomos e encarregados de obra para montarmos as atas a fim de que civil e juridicamente os religiosos possam responder pelas obras que temos.

NO ATO DA TRANSFERENCIA, cada diretor, pároco ou encarregado de Obras deve preparar um dossiê para passar para os novos diretores de acordo com formulário enviado pela Província a todas as casas. Esse documento constitui o documento de passagem de governo e deve ser assinado pelo diretor da comunidade, ou encarregado de Obra que está deixando a casa, pelo novo diretor ou encarregado de Obra, como pelo Provincial ou o Ecônomo.

IMPORTANTE, PARA QUEM SAI E PARA QUEM CHEGA
1. Chegar com humildade, reconhecendo e valorizando o trabalho de tantos religiosos e leigos que trabalharam naquela Paróquia ou Obra.
2. Passar alguns meses observando, estudando o funcionamento da casa, conhecendo os moradores, funcionários, benfeitores, visitando pessoas amigas da casa, para que não se perca o contato com a sociedade.
3. Não levar funcionário da casa em que o religioso trabalhava, para a casa onde vai trabalhar.
4. Não chegar e mandar funcionários embora sem os conhecer criando um clima de terror.
5. Verificar o equilíbrio entre entradas e saídas.
6. Não trocar carros, móveis, empreender construções e reformas sem conhecer as necessidades da casa e suas condições financeiras.
7. Conhecer todos os processos jurídicos, trabalhistas, contratos, convênios, e a organização da casa de modo geral para fazer um plano de trabalho e agir com segurança.
8. Fazer uma visita ao bispo, Prefeito, contador ou advogado da casa e etc.
9. Nunca falar mal da administração anterior, de forma inadequada mesmo que tenha razões para isso.
10. Começar bem é começar conhecendo, estudando e ao mesmo tempo elaborar um plano de ação.

AGRADECIMENTOS: é preciso agradecer, em primeiro lugar a Deus nosso Pai, a São Luís Orione, o nosso fundador, como todos os nossos religiosos que no diálogo colocaram suas dificuldades e resistências, mas sempre com grande boa vontade, assumindo as responsabilidades como suas, mesmo com sacrifícios que se impunha a transferência.
Sem a colaboração de todos não teríamos chegado a organizar a nossa província para o próximo triênio. Muito Obrigado e que Deus Pai, por intercessão de São Luís Orione nos abençoe.

Pe. Aparecido da Silva
Diretor provincial

Dom Luís Orione - uma vida em imagens

Tortona, 29 de Agosto de 1918. Vendo, porém, piorar sempre mais as condições de vida das famílias de São Bernardino, Dom Orione decide pedir ajuda da Virgem Santíssima, prometendo, com o apoio unânime de toda a cidade, a construção de um grande santuário mariano.
"Aquele dia - lembrará mais tarde - foi realmente decisivo para o bairro de São Bernardino. Aos pés de Nossa Senhora colocamos os nomes dos combatentes, com as fotos trazidas pelas esposas e mães; o bispo veio benzer a nova imagem, e se fez o voto do Santuário, se a guerra terminasse vitoriosamente para a Itália e os soldados voltassem para casa sãos e salvos...". (p. 67)

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Dom Luís Orione - uma vida em imagens

Tortona, bairro de São Bernardino, 1917-1918. "Venha, venha, Dom Orione - diziam-lhe as lavadeiras - se alguém quiser atacá-lo, nós o defenderemos com nossos tamancos...". Aquela região estava espiritualmente abandonada e chegou a ser inimiga dos sacerdotes que corriam riscos de passar por lá... Exatamente ali, em vez, Dom Orione acenderá a chama de uma grande fé com o Santuário de Nossa Senhora da Guarda.
"A nossa sociedade, - afirmava - continuando assim, caminha para a ruína completa, e chegou a tal ponto devido à soberba, à sua apostasia da fé... Ó, é especialmente a Nossa Senhora que Deus confiou a obra da paz universal do mundo...". (p. 66)

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Igreja Memórias da luta contra a ditadura

47ª Caravana da Anistia rememora perseguição à igreja durante ditadura

Na próxima sexta-feira (26), São Paulo receberá a 47ª edição da Caravana da Anistia. A iniciativa, surgida em 2008 para dar mais transparência à análise dos processos de anistiados políticos perseguidos durante a ditadura brasileira, elegeu para esta edição apreciar o requerimento de anistia do padre Joseph Comblin.

A caravana, que será realizada a partir das 14 horas, no auditório do Instituto Sedes Sapientiae, será realizada também com o intuito de prestar homenagens ao Cardeal Emérito de São Paulo, Dom Paulo Evaristo Arns, e à fundadora do Instituto Sedes Sapientiae, Madre Cristina. Ambos marcaram a história por sua postura de luta e liderança religiosa antes, durante e depois da ditadura no Brasil.

De acordo com Sueli Bellato, secretária-geral adjunta da Comissão Brasileira de Justiça e Paz/CNBB, a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça julga pedidos de anistia política em Brasília (DF), contudo, para tentar dialogar com os jovens, foi criada em 2008 a Caravana da Anistia, que julga os processos nos locais onde os direitos foram violados.

Até o momento, uma média de 15 a 17 mil processos já foram julgados durante as Caravanas realizadas em 18 estados brasileiros. Apenas em Brasília, cerca de 50 mil já foram julgados.

"Entre os processos recebidos, alguns que possam gerar debate são escolhidos para que possamos conversar com a juventude durante a Caravana da Anistia, que tem uma importância pedagógica. Nesta 47ª edição falaremos sobre como a igreja foi perseguida por defender os direitos humanos. Para isto, foram escolhidas duas figuras emblemáticas, que são Dom Paulo Evaristo Arns e Madre Cristina", disse.

Bellato também destacou a importância da apreciação do requerimento de anistia do padre Joseph Comblin. "O que acontece durante a Caravana da Anistia é um resgate da verdade. No caso de Comblin, o religioso foi tido como nocivo e banido do Brasil sem qualquer explicação. Devemos muito a ele".

Durante esta Caravana será feito o julgamento do processo do padre. Caso haja o reconhecimento de que houve perseguição, o Estado brasileiro precisará apresentar desculpas públicas ao religioso. No caso de ser comprovado também vínculo laboral do padre Comblin no Brasil, o sacerdote poderá receber uma reparação econômica por seu afastamento compulsório do país.

A Caravana é uma iniciativa do Ministério da Justiça em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH) e apoiada por organizações como o Instituto Sedes Sapientiae, Comissão de Justiça e Paz, Grupo Tortura Nunca Mais/SP, Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana/SP, Fórum dos Ex-Presos e Perseguidos Políticos do Estado de São Paulo, Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Memorial da Resistência de São Paulo, Núcleo de Preservação da Memória Política, entre outros.

Resgate histórico

Em 1970, os confrontos entre igreja e Estado começaram a se acirrar. Prova disso foi que, em março de 1972, durante a Semana Santa, o padre Joseph Comblin, à época assistente de Dom Helder Camara, foi impedido de desembarcar em Recife e obrigado a seguir viagem até o Rio de Janeiro, onde passou um dia inteiro e em seguida foi embarcado para Bruxelas. Antes da partida forçosa, Comblin foi avisado sobre um Decreto que o impedia de desembarcar em qualquer parte do território nacional.


Igreja Católica a mais confiável

Igreja Católica sobe para 2º lugar no ranking de instituições mais confiáveis

icjbrasil_igrejacatolica

Uma pesquisa que aponta o Índice de Confiança na Justiça (ICJ Brasil), feita pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), revela que a Igreja Católica está em 2º lugar no ranking de confiança das instituições. Com 54%, ela fica atrás apenas das Forças Armadas, que têm 66%.

Antes a Igreja ocupava a 7ª posição, com 34%. Houve, portanto, um aumento de 60% no terceiro trimestre deste ano em comparação com os três meses anteriores.

"A Igreja só perde para as Forças Armadas e ganha de longe do governo federal e, inclusive, das emissoras de TV que normalmente são instituições consideradas confiáveis pela população", disse a professora da Direito GV e coordenadora do ICJ Brasil Luciana Gross Cunha.

O ICJ Brasil foi criado pela Escola de Direito da FGV para verificar o grau de confiança no Judiciário e como a população utiliza o poder para a reivindicação de direitos e busca por soluções. Nesta pesquisa o Judiciário aparece em 8º lugar com 33%.

Outras instituições tiveram o seguinte resultado: Grandes Empresas (44%); Emissoras de TV (44%); Governo Federal (41%); Imprensa escrita (41%), Polícia (33%); Congresso Nacional (20%) e os partidos políticos (8%).

Novos Bispos para o Brasil

Papa nomeia novos bispos para o Brasil

O papa Bento XVI anunciou, nesta quarta-feira, 24, a nomeação de três bispos auxiliares para a arquidiocese do Rio de Janeiro e a transferência do bispo auxiliar de São Paulo, dom João Mamede Filho, para a vacante diocese de Umuarama, no Paraná. Ainda nesta quarta-feira, foi aceita a renúncia do bispo de Caçador (SC), dom Luiz Carlos Eccel.

pepedrocunhacruzPara bispos auxiliares a arquidiocese do Rio de Janeiro, foram nomeados os padres Pedro Cunha Cruz, Nelson Francelino Ferreira e Paulo Cezar Costa. Os dois primeiros são no clero da arquidiocese do Rio de Janeiro e o último da diocese de Valença (RJ).

Padre Pedro tem 46 anos e é natural do Rio de Janeiro. Fez seus estudos de filosofia na Faculdade de Filosofia João Paulo II e de teologia no Instituto Superior de Teologia da Arquidiocese do Rio. Ordenado padre no dia 4 de agosto de 1990, fez mestrado e doutorado em filosofia na Pontifícia Università Santa Croce, em Roma. Tem mestrado também em teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana.

Atual pároco da paróquia Santa Rita e Diretor da Faculdade Eclesiástica de Filosofia do Rio de Janeiro, padre Pedro foi pároco também da paróquia Santa Teresa de Jesus.

penelsonfrancelinoferreiraParaibano de Sapé, padre Nelson, 45, mora no Rio desde os cinco anos. Ordenado padre no dia 4 de outubro de 1990, padre Nelson fez seus estudos de filosofia e teologia, respectivamente, na Faculdade Eclesiástica de Filosofia João Paulo II e no Instituto Superior de Teologia da Arquidiocese do Rio. Na Pontifícia Universidade Católica do Rio, fez mestrado e doutorado em teologia sistemática.

Professor em vários estabelecimentos, padre Nelson foi também vigário paroquial da paróquia Nossa Senhora da Conceição, no Realengo (RJ), e pároco nas paróquias cariocas de São Luiz Rei de França, São Marcos e Nossa Senhora da Glória. Foi ainda diretor espiritual do Seminário São José, assessor eclesiástico das Pastorais Universitária e da Juventude e membro do Conselho Presbiteral da arquidiocese do Rio.

pepaulocesarcostaPadre Paulo Cezar, 43, cursou filosofia no Seminário Nossa Senhora do Amor Divino, em Petrópolis, e teologia no Seminário São José, da arquidiocese do Rio de Janeiro. Tem mestrado e doutorado em Teologia Sistemática pela Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma.

Ordenado padre em 1992, foi vigário da paróquia da paróquia São Pedro e São Paulo de Paraíba do Sul (RJ) e pároco das paróquias Nossa Senhora da Conceição, em Vassouras (RJ), e Santa Rosa de Lima.

Diretor e professor do Departamento de Teologia da PUC-Rio, padre Nelson é o reitor do Seminário Diocesano Paulo VI, em Nova Iguaçu, e membro da Comissão de Doutrina e do Instituto Nacional de Pastoral da CNBB

Umuarama

domjoaomamedefilhoO novo bispo de Umuarama (PR), dom Mamede, anunciado nesta quarta-feira, é da Ordem dos Frades Menores Conventuais (OFMConv) e tem 59 anos. Natural de Caçapava (SP), foi ordenado bispo em 2006. Seu lema episcopal é “No evangelho força de Deus”.

Antes de ser ordenado bispo, dom Mamede exerceu as seguintes atividades: Diretor da obra social CIDADE DOS MENINOS, em Santo André, SP (1978); Vigário da Paróquia Exaltação da Santa Cruz, em Ubatuba, SP (1979); Vigário da Paróquia N.S. Aparecida e N.S. Navegantes, em Guaira, PR (1980-1981); Pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, de Guaira, PR (1982); 1983 a 1985 – Reitor da Casa Dom Romero de Fromação para Vocações Adultas, na cidade de Santo André (SP) e vigário da Paróquia Santa Gema Galgani, na mesma cidade; 1986 a 1988 – Reitor do Seminário Casa São Francisco em Curitiba; 1989 a 1998 – Diretor e Redator da revista O MENSAGEIRO DE SANTO ANTÔNIO na cidade de Santo André (SP); A partir de 1992, por 14 anos seguidos, foi Ecônomo da Província São Francisco de Assis do Brasil, da OFMConv; Em 1999 organizou a peregrinação das Relíquias de Santo Antônio de Pádua por quase todos os estados do Brasil; 2000 a 2005 – Vigário da Paróquia territorial São Maximiliano Kolbe, de Mogi das Cruzes (SP), e da Paróquia Pessoal para os Japoneses daquela diocese, que também leva o nome de São Maximiliano Kolbe; Reitor do Seminário Casa São Francisco e Guardião da Fraternidade Franciscana Conventual em Curitiba.

Renúncia

domluizcarloseccelFoi aceito hoje, também, pelo papa Bento XVI, o pedido de renúncia ao governo pastoral da diocese de Caçador feito pelo bispo dom Luiz Carlos Eccel, 59, de acordo com o cânon 401 § 2º do Código de Direito Canônico. Desde que foi ordenado bispo, em fevereiro de 1999, dom Luiz, estava na diocese de Caçador. Seu lema episcopal é “Amar e servir”.

Dom Luís Orione - uma vida em imagens

Tortona, 4 de Outubro de 1917. Apavorado com certas cenas de vandalismo, Dom Orione procura logo ajudar algumas famílias de São Bernardino e entrega a creche e o laboratório às Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade, fundadas por ele em 29 de Junho de 1915. Então, elas recebem de Dom Albera, o hábito de religiosas e se consagram ao serviço dos pequenos e dos doentes nos Pequenos Cotolengos. "Estes - dizia Dom Orione - devem ser os para-raios das grandes cidades, atraindo as bênçãos de Deus com o apostolado do sofrimento e da oração. Os Pequenos Cotolengos não perguntarão a quem entra se tem um nome ou religião, mas somente se tem uma dor...". (p. 65)

RETIRO - SEGUNDO TURNO

Segundo turno de retiro: 01 a 08 de dezembro de 2010 em Barro Preto
– Pregadora Ir. Maria Inez de Oliveira

Estão convocados os seguintes religiosos:
1. Pe. Darci Rosa
2. Cl. Anderson Cristian Rodrigues
3. Pe. Gilmar Joaquim Hermes
4. Pe. Pedro Paulo Alves de Souza
5. Dc. José Luiz Sauer Teixeira
6. Pe. Cristiano Aparecido dos Santos
7. Cl. Clayton da Silva Munhoz
8. Cl. Márcio Alexander Calais Jesus
09. Pe. Aparecido do Nascimento
10. Pe. Claudinei Niedzwiecki
11. Pe. Evaldo Wroblewski
12. Pe. Paulo Sérgio Martins
13. Pe. Evaldino Borges Dias
14. Pe. Everson Damian Lunardi
15. Pe. Pedro Bortolini
16. Pe. Ari Mathias
17. Pe. Renato Scano
18. Pe. Luiz Frison
19. Pe. Geraldo Maurício da Silva
20. Cl. Edson Teixeira de Lima
21. Pe. Braz Ricardo
22. Pe. Suvenir Miotelli
23. Pe. Márcio Lopes Vieira
24. Pe. José Nascimento Ferreira da Silva
25. Pe. Luiz Carlos de Aguiar Gregório
26. Pe. Vanderci José Rocha
27. Pe. José Silva de Paiva
28. Pe. Olívio Rosso
29. Pe. José Deboita
30. Pe. João Salvador
31. Ir. Agostinho Joventino do Carmo
32. Pe. Alvamir Miguel Gonçalves
33. Pe. Jesoaldo Henrique
34. Cl. Osvaldir Ribeiro Mendes
35. Pe. Renaldo Amauri Lopes
36. Pe. Ricardo Alexandre Paganini
37. Pe. Wanderley Calça

Obs. O retiro começa no dia 01 de Dezembro às 18H e termina no dia 08 de Dezembro as 12H. Contribuição: 1 salário mínimo (R$510,00)

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Dom Luís Orione - uma vida em imagens

Tortona, 01 de Maio de 1917. A Itália está em guerra há dois anos. Tortona tem os seus homens lutando na trincheira e as famílias do bairro São Bernardino estão vivendo na miséria. Uma multidão de mulheres vai em direção ao centro da cidade, empunhando bandeiras vermelhas, agitando paus e armas, invadindo as casas de comércio: Dom Orione vai com os seus jovens para a praça da catedral para acalmar os ânimos e defender o bispo...
"Tudo isto - escreveu - é fruto da descristianização, que vai tirando dos corações tudo aquilo que era riqueza ideal e moral do passado, e gera ódio profundo... É preciso estar com o povo e sacrificar-se, até à morte, mas ajudá-lo a recuperar o seu ser cristão...". (p. 64)
Hoje é aniversário do Pe. Carmelo Di Gregório (N)

terça-feira, 23 de novembro de 2010

10 Anos de Sacerdócio - Pe. Paulinho

Com o Pe. Paulinho Pe. Alexandre, Pe. Davi e Pe. Maurício

Celebração Eucarística e Almoço Festivo



Enfim Presbítero - Parabéns Pe. Marcio





Dom Luís Orione - uma vida em imagens

Tortona, Março de a917. Dom Orione tem muitos órfãos filhos da primeira guerra mundial para manter, mas com frequencia lhe faltam os meios necessários. "Eu fui tomado por grande angústia - contará depois - Ó Santa Mãe, pedi a ela, ajudai-me... - Certa noite, no quarto, para ler alguma coisa, peguei ao acaso de uma prateleira um dos livros deixados em herança por Pe. Antônio Gallarati falecido em 1911: com grande admiração caíram em minhas, bem embrulhadas num pacote, tantas notas de mil, quantas eu tinha necessidade... Talvez as colocara Pe. Gallarati, capelão de São Roque, e a Providência se serviu também dele para ajudar os nossos órfãos...". (p. 63)

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Dom Luís Orione - uma vida em imagens

Roma, primavera de 1915. Naqueles meses de tanto cansaço para as vítimas do terremoto do Abruzzo, Dom Orione se preocupa em defender os bens dos órfãos e dos pais que morreram na catástrofe. Cava entre os escombros, leva tudo ao patronato do governo, do qual é delegado: procura renovar em todos a confiança em Deus, e, às crianças que desejam, leva a Roma ou a outros centros de apoio. Muitas vezes, aos que são acolhidos na sua Colônia de Monte Mário, para arranjar-lhes um lugar, vai dormir nas palhas do estábulo... "Não se lembrem de mim a não ser para rezar - escrevia ainda ao seu irmão Bento - tu bem sabes que a minha vida eu a entreguei a Jesus, à santa Igreja e aos órfãos: minha vida é para ser gasta assim...". (p. 62)

Pe. Pedro

No dia em que comemoramos o Venerável Carlos Sterpi, também celebramos o aniversário de nosso confrade Pe. Pedro Bortolini (S)

Dom Carlos Sterpi

O Venerável Carlos Sterpi foi o primeiro sucessor de Dom Orione. Morreu em Tortona em em 22 de Novembro de 1951, aos 77 anos de idade e 54 de sacerdócio. Dele dizia Dom Orione: "se Deus me dissesse: te quero dar um continuador que seja de acordo com o teu coração, eu lhe responderia: - deixa disso, Senhor, porque já me deste em Dom Sterpi."

domingo, 21 de novembro de 2010

Dom Luís Orione - uma vida em imagens

Avezzano, Fevereiro de 1915. Um dia, ao ver alguns carros livres do séquito do rei, Dom Orione coloca imediamente neles alguns órfãos: os guardas reclamam e avisam imediatamente ao rei. Dom Orione, sem se intimidar pede diretamente ao rei que lhe consiga um carro para tansportar as crianças terremotadas ao seu Instituto em Roma. Vitorio Emanuel III, admirado com a resolução do padre, oferece o carro... "A minha vida vida - dizia aqueles dias Dom Orione - eu a entreguei ao Senhor e ao meu próximo, e ficaria muito contente se me levassem de volta a Tortona morto de tanto trabalhar pela fé e para fazer o bem aos órfãos do terremoto...". (p. 61)

Hoje é dia Jesus, Rei do Universo!

sábado, 20 de novembro de 2010

É hoje

É hoje a ordenação sacerdotal de Dc. Márcio Lopes Vieira. Parabéns!!!

CIRCULAR DO DIRETOR GERAL


Acompanhemos a conclusão da última Circular do Diretor geral Dom Flávio Peloso "Imbuídos pela caridade - para fazer provar o amor providente de Deus". Lembramos que ela está na íntegra em www.donorione.org

Olhando para a frente
Como disse acima, já esboçamos no Conselho o programa geral e fixamos algumas datas do Calendário. Neste primeiro ano, temos o objetivo de realizar encontros com as Províncias, em momentos de reuniões coletivas, de encontros dos Conselhos provinciais, de Diretores, de Assembleias de programação. Os Conselheiros estão iniciando os contatos para entrarem no ritmo das várias reuniões dos Secretariados provinciais e interprovinciais. Nestes primeiros meses, estamos programando nossa apresentação como Conselho nas várias Províncias: nos dias de 14-15 nos encontramos com os diretores das Províncias italianas, nos dias 19-21 de outubro nos encontraremos com os da Polônia, em janeiro com os da Espanha, em fevereiro com os da África, em março estaremos todos na América Latina.
Nos dias 4-6 de dezembro teremos o encontro dos Conselheiros Gerais, o nosso, o das PIMC, as quais, em maio próximo realizarão o seu Capítulo Geral, e os Responsáveis do ISO e do MLO.
Em cada Província, será preciso organizar com toda atenção a Assembleia de programação.

Enquanto estou escrevendo, acabo de receber a notícia que os nossos Servos de Deus, Padre Ricardo Gil Barcelón e o Postulante Antonio Arrué Peiró, tiveram aprovação no exame da Comissão Teológica “super martyrio”, e, sendo assim, nos próximos meses pode-se prever a conclusão do processo para a beatificação deles. A notícia é boa por si mesma, mas só a poderemos publicar depois da completa conclusão do processo. O que podemos fazer desde já é difundir sempre mais o conhecimento destes dois Servos de Deus. Agradeçamos ao Senhor. Um ou outro nosso Confrade, de tanto em tanto, é elevado sobre o candelabro, mas toda nossa Família se considere solidária no compromisso da santidade.

E termino como de costume, recomendando que rezeis por aqueles que de junho até o dia de hoje deixaram-nos e partiram, precedendo-nos no caminho feliz da casa do Pai. São eles os Confrades: Pe. Alfredo Enrico Riva e o Pe. Pasquale Ruggeri; as Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade: Irmã Maria Eliane, Irmã Maria Assunta, Irmã Maria Priscilla Di Berardo, Irmã Maria Pudenziana e a Irmã Maria Cleta; o papai do Pe. Aurelio Fusi, o do Pe. Dorian Mjeshtri, o do Pe, Baldomero Román Britez e o do Pe. Evaldo Pacheco Nunes; a mamãe do Pe. Lorenzo Benzi, a do Cl. Edvaldo Antunes, a do Pe. Paul Mboche Mwangi, a de Dom Enemésio Angelo Lazzaris e a do Frei Evaristo Rolón Portillo; o irmão do Pe. Mario Finati, o do Pe. Pietro Ferrini, o do Pe; Ezio Sonni, o do Pe. Raffaele Lion (já falecido), o do Pe. Giovanni e do Pe. Marco Grossholz e o do Pe. Wincenty Goralczyk; a irmã do Pe. Angelo Pellizzari.
Unamos em nossa recordação e em nossas preces também os Amigos, Benfeitores e leigos que na humildade e com discrição colaboraram concretamente para sustentar e manter as tendas da Pequena Obra da Divina Providência nas muitas partes do mundo, tornando-se participantes da obra de bem por elas realizada.
No Capítulo, recordamos com carinho os nossos confrades anciãos e enfermos, dedicando algumas decisões às pessoas e situações deles. Grande é a contribuição que eles prestaram nos seus anos de atividade e precioso é aquilo que podem continuar a nos oferecer agora; obrigação nossa é tudo quanto os confrades com boa saúde podemos dar-lhes, em auxílio de sua atual fragilidade. O Senhor os conforte e sustente neles viva a esperança e a serenidade nos incômodos e sofrimentos.
Quando sinto que devo fazer alguma coisa “no nome de Dom Orione”, sempre me parece ver aquele seu rosto sorridente; tento reproduzi-lo em mim e peço a graça de vê-lo estampado em todos que o seguem. Avante, caríssimos Confrades, prossigamos no bom caminho, difundamos a caridade e o bom odor de Cristo ao longo de nossos passos. Saúdo-vos todos in Domino.

Don Flavio Peloso, FDP
(superior geral)

Dom Luís Orione - uma vida em imagens

Avezzano, Janeiro de 1915. Na subida do Montebove, a neve é alta e o carro, carregado de órfãos, não pode ir em frente. Ouve-se um grito: "os lobos... os lobos!..." Com sangue frio, Dom Orione acalma as crianças dizendo: "Ah! Essa cachorrada vai logo embora!!!", e o motorista dispara alguns tiros de revólver e vai ladeira abaixo... Os lobos, apavorados com os gritos e os disparos param um instante, e é a salvação... "Algumas vezes - escrevia depois Dom Orione ao seu irmão Bento - eu pensei que fosse morrer debaixo da chuva e da neve, dormindo no chão e molhado da cabeça aos pés, sem roupa para trocar e nada para comer...". (p. 60)
Hoje é dia da Mãe da Divina Providência, titular da Pequena Obra.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Novos Espaços Celebrativos

“Adorai o Senhor na Beleza de seu santuário” salmo 29,2

Neste fim de semana nossa cidade de Guararapes teve a Ilustre visita do Bispo da Diocese de Araçatuba. Ele veio para a celebração do Sacramento do Crisma na Paróquia S. Pedro Apóstolo, onde mais 154 cristãos entre jovens adultos, confirmaram sua fé em Jesus Cristo e sua Igreja.

Na ocasião, logo após a celebração, Dom Sérgio dirigiu-se às comunidades da Capela São Judas e Capela São José Operário, para a benção do altar, o ambão (mesa da Palavra) e a sédia (cadeira) de cada comunidade. Todas as peças são originais concebidas dentro dos padrões litúrgicos e da Tradição.

Capela São José Operário, Ambão, Altar e Sédias em mármore travertino.
Falta ainda a solução para novo sacrário e retirada dos Padroeiros do Presbitério.

Capela São Judas Tadeu, altar peça maciça de Angelin com detalhe em Ipê (altar), sédias e suporte para o círio pascal também de Angelin.

Apresentação das Peças a Dom Sergio, Bispo de Araçatuba (Capela São Judas)

Apresentação das peças a Dom Sergio, Capela São José Operário

CIRCULAR DO DIRETOR GERAL

Acompanhemos o penúltimo trecho da última Circular do Diretor geral Dom Flávio Peloso: "Imbuídos pela caridade - para fazer provar o amor providente de Deus" (leia na íntegra em www.donorione.org)


No dia 5 de setembro, achamos modo de estar presentes na celebração dos 70 anos do seminário de Buccinigo d’Erba (Como). Quantos bons religiosos e sacerdotes se formaram naquela casa e de lá se espalharam pelo mundo, na Itália ou partindo para as missões longínquas. Junto com o agradecimento, nosso pensamento foi logo para as vocações e para os jovens hoje em nossas casas de formação. A todos eles repito o que Dom Sterpi, no dia 27 de agosto de 1940, por ocasião da inauguração daquele seminário, disse aos seminaristas de então: “Dom Orione já partiu para o Paraíso e eu não demoro a ir também, mas, antes de minha partida, espero ver muitos clérigos, mas clérigos com uma 'rodela'." Lindo! Clérigos com uma “rodela”, ele queria dizer, com a auréola da santidade! E eu, para dizer a verdade, acho que algumas dessas rodelas luminosas, andei vendo entre os clérigos que encontrei na Costa do Marfim e entre os reunidos nos retiros de Velletri.

Sinto o dever de chamar a atenção de todos para um novo documento da Santa Sé: Normae de gravioribus delictis, publicado no dia 15 de julho próximo passado. Atualiza e complementa as normas já contidas na Carta Apostólica «Sacramentorum sanctitatis tutela» e nas Normae de gravioribus delictis da Congregação para a Doutrina da Fé de 2001.

O Papa Bento XVI, indo muito além do texto do documento jurídico, continua com seriedade e firmeza a promover a santidade da Igreja e a defender a pureza de fé diante dos “delitos” (''delicta graviora”) doutrinais e morais que possam ofendê-la. Entre eles estão os fatos de delitos contra crianças e menores, mas também os comportamentos e mentalidades, difusos até no interior da Igreja e entre o clero, ao qual o Papa pede que reaja sem nenhuma hesitação.

Há, com relação a esse tema, comentários e caricaturas de interesses e posicionamentos variados e opostos. Precisamos buscar o equilíbrio, quer dizer, a verdade. Sabemos todos, e muito bem, quando uma expressão de afeto, não só para com menores, é indiscreta ou inconveniente, ou pior ainda, o que Deus não permita, pecaminosa e criminosa. Nem são necessárias tantas discussões e teorias para reconhecer quando uma amizade é “particular”, como se dizia antigamente, significando falta de maturidade, nada de amor desinteressado, muita busca de si mesmo e nada absolutamente de caridade sacerdotal.
Nossa especial fidelidade ao Papa, de que fazemos voto, se manifeste, não só no respeito a quanto diz o documento, mas sobretudo, em assumir os seus propósitos: promoção da santidade das pessoas consagradas, para que, a sua dignidade pessoal torne sempre mais transparente e luminoso o testemunho de Cristo e da Igreja.
Amanhã, publicaremos a conclusão desta Carta Circular.

Dom Luís Orione - uma vida em imagens

Avezzano (Abruzzo), 13 de Janeiro de 1915. Outro terrível terremoto golpeia desta vez grande parte da região Mársica: 30 mil mortos... Dom Orione, que se encontra em Roma, parte para lá imediatamente, com toda a sua caridade. "No meio da noite e da confusão - escreve logo após o inglês Von Hugel - corria, completamente absorto na desventura daqueles pobres, Dom Orione, um humilde padre, a quem muitos já procuravam como a um santo, nascido entre os humildes e pobres, para os humildes e pobres. Ele levava duas crianças, uma em cada braço e, por onde ia, levava ordem, esperança e fé no meio de toda aquela confusão e desespero...". (p. 59).
Parabéns aos nossos confrades: Pe. Luiz Carreiro Varão (N) - aniversariou ontem e
Cl. José Márcio (N) - aniversariante de hoje

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Capela da Casa provincial







A capela da Casa provincial, graças aos esforços do Pe. Paulo Sérgio Correia foi reformada.



CIRCULAR DO DIRETOR GERAL

Acompanhemos mais Notícias de Família, da última Circular do Diretor geral Dom Flávo Peloso: "Imbuídos pela caridade - para fazer provar o amor providente de Deus" (veja na íntegra em www.donorione.org) .


Tive a alegria de poder participar, em Grand-Bassam (Costa do Marfim), no dia quatro de julho, da consagração do novo Bispo orionita, Dom Raymond Ahoua. É o primeiro fruto da nossa missão africana. A sua sagração teve a participação de uma imensa assembleia de mais de 10.000 pessoas, entre as quais 300 sacerdotes, 25 Bispos e o Cardeal Agré. A cerimônia durou 5 horas, envolveu toda a assembléia, foi devota e vibrante. Pela terceira vez em três anos, entreguei “o anel de São Pio X” a um novo Bispo durante a sua sagração

Raymond, é filho de uma Família, onde cresceu, na paróquia de Bonoua, depois entrou para o noviciado de Velletri e foi para Tortona onde continuou os estudos e a formação e, em seguida foi para Anyama, Bonoua e Nairobi. Dele se poderia dizer, como já dissemos ao falar da venerável Irmã Maria Plautilla, "uma irmã como outras"; assim também foi Raymond, agora escolhido como Bispo e posto sobre o candelabro para seu povo, é, na verdade, um religioso “como outros”. Se de nossas fileiras puderam sair uma “venerável” e um “bispo” significa que a escola é boa e que estamos num caminho santo: Ave Maria e avante!

Na África, depois da sagração de Dom Raymond, tivemos 3 ordenações sacerdotais, 3 profissões perpétuas, 12 primeiras profissões e 14 novos noviços.

A festa de Nossa Senhora da Guarda do dia 29 de agosto é sempre rica de significados e de estímulos espirituais. Foi preparada pela novena pregada por Dom Vincenzo Bertolone, Bispo de Cassano Ionio. "A vida sem a oração é como uma carta sem endereço": com essa e outras expressões o Bispo nos encorajou a aprofundar nossa própria fé e a devoção a Nossa Senhora. A Eucaristia, o principal momento de nosso dia teve como celebrante o Cardeal Crescenzio Sepe, Arcebispo de Nápoles.
Também neste ano tive íntima alegria de presidir a Missa dos Jubilandos, com religiosos e religiosas da Família Orionita, provenientes de todo o mundo, vindos para celebrar seus próprios jubileus de vida religiosa e sacerdotal.

Logo depois da Festa de Nossa Senhora da Guarda, houve a reunião prolongada do novo Conselho Geral que durou nada menos do que oito dias, do dia 30 de agosto ao dia 7 de setembro. Foi um precioso tempo de vida comum e de conhecimento recíproco, posto que foi a primeira vez que estivemos reunidos com certa folga e muita calma. Dedicamo-nos a aperfeiçoar o texto e a publicação do documento final do 13° Capítulo Geral e a transformar as decisões e as linhas de ação nele contidas em programa de animação e de governo.
Acompanhemos amanhã o penúltimo tópico desta Circular.

Dom Luís Orione - uma vida em imagens

Savona, 4 de Maio de 1912. Antes de levar a Tortona o jovem de San Remo Brás Maraboto - logo depois sacerdote da Obra e seu representante na Polônia -, Dom Orione o acompanha ao Santuário de Nossa Senhora da Misericórdia. "Na medida que subíamos - contará Dom Orione - Brás olhava ao redor, se ruborizava todo e chorava... Você se sente mal?... - Eu perguntava -, Não... - me respondeu - é que eu já sonhei que vim com um padre aqui em cima e de já ter visto todas estas coisas... - Eu também, - acrescentei - tive o mesmo sonho... - Entramos, então, no Santuário e rezamos durante muito tempo a Nossa Mãe, mãe das santas vocações, que para lá nos conduziu...". (p. 58)

O missionário




Nesta madrugada (00H42min), depois de um ano e quatro meses em Moçambique, nosso missionário Pe. Wanderley Calça está de volta ao Brasil para um merecido descanso.