quinta-feira, 31 de março de 2011

Cristãos e Budistas

Vaticano: Cristãos e budistas devem «trabalhar juntos pelo bem comum»

Papa cumprimento no Vaticano
mestres budistas

Mensagem do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso no dia da «Festa do Vekash», que recorda principais acontecimentos da vida de Buda

Cidade do Vaticano, 31 Mar (Ecclesia) – O presidente do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso convidou hoje a comunidade budista de todo o mundo a fortalecer os laços de amizade com os cristãos, na busca da paz, verdade e liberdade.
“No mundo marcado por formas de secularismo e fundamentalismo frequentemente inimigos da verdadeira liberdade e dos valores espirituais, o diálogo inter-religioso pode ser alternativa para encontrar o ‘caminho de ouro’ e trabalharmos juntos pelo bem comum” realçou D. Jean-Louis Tauran, numa mensagem emitida hoje, por ocasião da “Festa do Vesakh”.
Trata-se da celebração mais importante do budismo, em que se recordam os principais acontecimentos da vida de Buda.
Segundo um comunicado da sala de imprensa da Santa Sé, o cardeal saudou todos aqueles que professam aquela religião e reforçou a importância de manter acesa a luta pela defesa dos direitos humanos fundamentais, entre eles a liberdade religiosa.
“Quando esta for efectivamente reconhecida, a dignidade da pessoa humana será respeitada na sua raiz; a consciência moral e as instituições civis serão fortalecidas e a justiça e a paz serão decididamente estabelecidas” concluiu, citando a mensagem do Papa Bento XVI para a Jornada Mundial da Paz 2011.

Intolerância Religiosa

Pastor Julga e queima o alcorão

ROMA, quarta-feira, 30 de março de 2011 (ZENIT.org) - "Quem semeia ventos colhe tempestades": assim diz um provérbio baseado no livro de Oseias (8,7). E os ventos foram semeados pelo polêmico reverendo evangélico americano Terry Jones, quando, a 20 de março, cumpriu a sua ameaça e organizou em Gainesville (Flórida) um "julgamento contra o Alcorão".
No final do julgamento, o livro sagrado do Islã recebeu o veredicto de "culpado" pelos crimes contra a humanidade e por ser um promotor de atos de terrorismo "contra pessoas cujo único crime foi não compartilhar a fé islâmica". Como "castigo", um exemplar do Alcorão foi queimado publicamente pelo pastor Wayne Sapp. O evento teve a participação de cerca de 20 pessoas (‘Agence France-Presse', 20 de março).
Em setembro passado, Jones ameaçou queimar uma cópia do Alcorão para marcar o aniversário dos ataques às Torres Gêmeas em Nova Iorque, em 11 de setembro de 2001, mas desistiu do seu propósito depois de uma enxurrada de condenações internacionais e nacionais, especialmente do presidente Barack Obama e de muitos expoentes cristãos.
A queima do Alcorão suscitou fortes reações. Nos últimos dias, foram realizados protestos em várias cidades, por exemplo, em Lahore, capital da província de Punjab, onde manifestantes queimaram um boneco que representava o reverendo Jones, atacaram a igreja e a casa do pastor da ‘Full Gospel Assembly', assaltaram uma igreja pentecostal e invadiram a igreja católica de São Tomás, no distrito militar de Wah. "É uma reação à profanação do Alcorão na Flórida, apesar de a comunidade católica condenar o ato", disse o pároco, Pe. Yousaf.
O gesto de Jones foi denunciado pelas mais altas autoridades do país. Também a Igreja Católica do Paquistão condenou o ocorrido. "Em nome dos bispos católicos e dos cristãos no Paquistão, condeno este ato de loucura pura, que não representa os valores cristãos e os ensinamentos da Igreja", diz um comunicado assinado por Dom Lawrence Saldanha, arcebispo de Lahore e presidente da Conferência Episcopal do Paquistão (‘AsiaNews', 23 de março). "Desagrada-nos ver que as pessoas que se definem como pastores sejam tão ignorantes do que é a sua religião, assim como a decência normal", continua o texto, com tom duro.
João Paulo II beija o Alcorão - sinal de respeito
 e tolerância Religiosa
Palavras tão claras como estas foram usadas ​​pelos cristãos na vizinha Índia. "Tais atos reprováveis ​​não podem ser justificados sob nenhuma circunstância", disse o ativista John Dayal, presidente do ‘All-India Catholic Union', segundo o ‘Times of India' (24 de março). Por sua parte, o presidente da ‘Indian Christian Voice' e vice-presidente da ‘Maharashtra State Minorities Commission', Abraham Mathai, definiu a queima como "um ato insano e desprovido de razão", e advertiu ainda que o gesto terá "consequências desastrosas e de longo alcance" para a paz universal e o diálogo inter-religioso.
Do Paquistão chegou, no entanto, um "sinal de esperança para as minorias religiosas. Como relatou a agência ‘Fides', Paul Bhatti, ou seja, o irmão mais velho do ministro católico assassinado há três semanas e meia, foi nomeado, em 24 de março, "conselheiro especial" do primeiro-ministro Gilani para as Minorias Religiosas. Após a morte de seu irmão, Paul Bhatti também foi eleito presidente da ‘All Pakistan Minorities Alliance' (APMA), o organismo de defesa das minorias do fundado por Shahbaz Bhatti, em 2002.

O Papa em Quadrinhos

BENTO XVI, HERÓI MANGÁ


Editor dos quadrinhos explica a ideia para a JMJ

MADRI, quarta-feira, 30 março de 2011 (ZENIT.org) - Os mangás japoneses (segmento de histórias em quadrinhos) são cada vez mais populares, independentemente da idade do leitor, mas seu interesse é notório entre jovens de todo o mundo. Por isso, nos EUA surgiu a iniciativa de contar a vida de Bento XVI em estilo mangá.
Jonathan Lin e ‘Manga Hero’, uma produtora de quadrinhos com sede em San Rafael, Califórnia, baseou duas de suas obras em cenas da Bíblia.

No mês de agosto essa editora levará a Madri um mangá muito especial, especialmente para a Jornada Mundial da Juventude.

O roteiro da história, leva o título de ‘Habemus Papam’, foi escrito por Gabrielle Gniewek, uma estudante da Universidade João Paulo II (‘JP Catholic’), em San Diego, Califórnia. Este centro acadêmico fundado em 2006 propõe encontrar modos de aproximar Cristo da cultura popular, através de diferentes formas de comunicação. Os estudantes da ‘JP Catholic’ formam-se nisso. 

Jonathan Lin, editor do produto, explica que “o objetivo de ‘Habemus Papam’ é apresentar Bento XVI àqueles que ainda não sabem muito sobre ele, salvo que se trata do máximo representante da Igreja católica. Esta breve história reproduz as diferentes vivências do Santo Padre por todo o mundo – especialmente como cardal, trabalhando com seu antecessor João Paulo II, e culminando com o momento em que foi eleito bispo de Roma”.

Por que um mangá? A resposta é clara: “na última década, a popularidade do mangá teve um crescimento assombroso em todo o mundo, e converteu em fãs milhões de crianças e adultos. De fato, é considerado uma das exportações japonesas mais exitosas. O mangá adquiriu uma grande extensão de conteúdos em um grande número de gêneros. Queremos utilizar o mangá como ferramenta para mostrar à juventude e ao mundo uma Igreja sem medo da modernidade e da rápida evolução da cultura. Não duvidamos em usar novas formas midiáticas para nos comunicar com os jovens”. 

As últimas criações da editora foram sobre figuras bíblicas tão sugestivas como Judite e São Paulo. O editor explica que eles representam perfeitamente um herói e uma heroína, “dois personagens célebres que demonstraram seu valor e nobreza, especialmente quando arriscaram ou sacrificaram suas vidas pela fé”.

Habemus Papam será impresso em uma cidade próxima de Madri e todo o projeto será produzido por ‘Manga Hero’.

O editor explica que os quadrinhos serão distribuídos aos participantes da JMJ e em lugares públicos como igrejas, colégios, praças. Espera-se imprimir mais de 300 mil exemplares, em inglês e em espanhol. 

“Que seja uma boa iniciativa e que ensine as pessoas sobre o Santo Padre, assim como da importância, visibilidade e atividade da Igreja na cultura moderna”, disse Jonathan Lin.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Igreja/Cultura: Há novas fronteiras para o crer

Igreja/Cultura: Há novas fronteiras para o crer

Falar e ouvir falar de Deus na sociedade de hoje é uma dinâmica em mudança

RM/SNPC | Obra de Lourdes Castro na Capela do Rato, Lisboa
Lisboa, 29 Mar (Ecclesia) – O sociólogo Alfredo Teixeira considera que a Igreja Católica enfrenta “tendências de guetização da experiência cristã” que exigem uma “reconstrução criativa”.
Num texto hoje publicado na mais recente edição do semanário Agência ECCLESIA, o professor da Universidade Católica Portuguesa (UCP) fala num “processo de desagregação a que Michel de Certeau chamou o fim do «cristianismo objectivo»”.
“Talvez por isso nos encontramos, também, perante as tendências de guetização da experiência cristã e as perplexidades dos que escolhem a ambiguidade do mundo como lugar do testemunho”, acrescenta.
O jesuíta José Frazão Correia, por seu lado, diz que o “acto de fé e as práticas crentes deixaram de contar com a protecção de um centro reconhecido e incontestado, bem delimitado e seguro”.
“O que estamos a perder não parece essencial à fé em Jesus. Será, antes, uma falsa segurança (cultural, política, ética, etc.) que, em muitos casos e momentos, parece ter obscurecido e enfraquecido o Evangelho”, observa.
Para o sacerdote português, “a fé em Jesus de Nazaré não quer ser sem a diversidade de pessoas, tempos e modos, os seus dramas e êxitos”.
Em entrevista à Agência ECCLESIA, o colunista Henrique Raposo fala da sua relação com Deus e do que espera no diálogo com a Igreja Católica, colocado no «Pátio dos Gentios» - designação do novo organismo do Vaticano para a promoção do diálogo com os não crentes.
“A linguagem no espaço público não é assim tão difícil como possa parecer”, assinala.
Abandonando a expressão “ateu” para se definir, Henrique Raposo defende que “o que não se pode fazer à Igreja – aos católicos – é o desprezo, pensar que eles não existem”.
Quando à condição crente, considera que “ter dúvidas deve fazer parte daquele que tem fé. Aqueles que foram educados na fé e nunca questionam nada, não vão chegar a um estado de maturidade, ficam na fé infantil”.
Tiago Freitas, padre da arquidiocese de Braga e um dos responsáveis pelo site www.patiodosgentios.com, fala, por seu lado, do interesse da Igreja na Internet e nas redes sociais: “Quer a nível institucional, quer a nível pessoal, terá de ser uma presença com a marca de um testemunho coerente e genuíno, o que implica, desde logo, uma transparência quanto à sua condição de crente”.
“O «testemunho» é a única linguagem que encontra um receptor disponível. Não existem posições neutras. Pode existir, isso sim, um itinerário pedagógico que, por vezes, o diálogo exige”, escreve.
Ao longo da Quaresma, que decorre de 9 de Março a 21 de Abril, a Agência ECCLESIA vai apresentar semanalmente um dossier sobre espiritualidade cristã, nas suas mais diversas vertentes.
OC

LIVRO DO PAPA NA LISTA DOS MAIS VENDIDOS NOS EUA

NOVA YORK, terça-feira, 29 de março de 2011 (ZENIT.org) - O último livro de Bento XVI, publicado a 10 de março, alcançou nesta semana a quinta colocação na lista dos mais vendidos na categoria não-ficção do ‘New York Times’.

O livro do Papa, ‘Jesus de Nazaré. Da Entrada em Jerusalém até à Ressurreição’, também integra a lista dos mais vendidos do ‘The Wall Street Journal’ e de ‘Publisher’s Weekly’.

“É fantástico ver que o livro continue seu caminho para o primeiro lugar da lista de livros mais vendidos do ‘New York Times’”, disse o presidente da editora Ignatius Press, Mark Brumley.

“Este livro apresenta Jesus de uma maneira muito poderosa, e estamos encantados pelo fato de que tanta gente esteja comprando o livro e conhecendo Jesus através dele”, disse.
“Durante a Quaresma, isso é muito importante para os crentes. Mas também é importante para os não-crentes e os que buscam poder encontrar o Jesus autêntico.”

HAVERÁ LUGAR PARA TODOS NA BEATIFICAÇÃO DE JOÃO PAULO II

Organização desmente que se criou “situação de emergência” e incentiva a participar

ROMA, terça-feira, 29 de março de 2011 (ZENIT.org) - "Roma está pronta para acolher todos os peregrinos que quiserem vir: temos disponibilidade de lugares, assim como todas as cidades perto de Roma."
Estas foram as palavras de Dom Liberio Andreatta, na apresentação operacional dos eventos relacionados à beatificação de João Paulo II. A reunião foi realizada na sede do Vicariato de Roma, com a presença de significativas autoridades civis, desmentindo assim as vozes que anunciavam uma situação de emergência.
Para se deslocar dentro Roma, o bilhete dos peregrinos permitirá utilizar o transporte público gratuitamente durante os três dias; o metrô funcionará 22 horas por dia (exceto das 2h às 4h).
Para chegar à capital, serão utilizados os trens, os mesmos que em dia úteis transportam milhares de pessoas, só que, nesses dias, sem o fluxo de trabalhadores. Haverá também uma "noite branca" de igrejas e locais de entrega de pacotes com alimentos.

terça-feira, 29 de março de 2011

Quatro Barras-PR - 1° Eucaristia do Seminarista Eduardo


1° Eucaristia do Seminarista Eduardo e Entronização do Quadro de Nossa Senhora


Foi com muita alegria que nesta segunda-feira (27/03) e Seminarista Eduardo fez a sua 1° Eucaristia, junto aos seus colegas de seminário, seus Pais e amigos, e Seminarista recebeu pela primeira vez o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, também durante a celebração foi Entronizado na capela o Quadro de Nossa Senhora do Guadalupe, que foi doado pela madrinha Rosy, depois da missa houve uma confraternização.



XI Capitulo Geral das PIMC


Dia 25 de março de 2011 em Roma – Iniciaram-se os trabalhos da Comissão pré-capitular na Casa Geral das Irmãs Orionitas em Roma, em preparação ao XI Capitulo Geral das PIMC que tem como tema: "Instaurare omnia in Christo" Identidade – Comunhão - Missão. Fazem parte da Comissão Ir M. Carla Tonelli, Ir M. Elzbieta Paszczyk, Ir M. Bernadeth Martins de Oliveira, Ir M. Jesùs Nieva, Ir M. Milena Linco e Ir M. Francoise Ravaoarisoa, juntamente com a Vigária Ir M.. Mabel Spagnuolo, seguindo as indicações que o Conselho Geral preparou, elas preparam os subsídios para o desenvolvimento do Capítulo Geral.
A todas e a todos, pedimos que nos acompanhe com orações,
Ir. Bernadeth

Mensagem

“Quanto mais é abundante o supérfluo, 

tanto mais falta o essencial.” (L. de Lenval )



O Apóstolo Paulo, por exemplo, apropria-se da idéia de vestimenta para se referir a um vestir de outras roupas. Mas que roupas? Ele diz: “vistam-se de misericórdia, de bondade, de humildade, de delicadeza e de paciência” (cf. Colossenses 3,12).

Por que será que o Apóstolo dos Gentios usa a vestimenta como uma forma de chamar a atenção e orientar os seguidores de CRISTO? O que há de errado com o nosso “guarda-roupa” pessoal ? Pode ser que usemos a roupa como um critério que acaba por manter uma posição de status, de se mostrar superior financeiramente, o de superioridade, de desprezo em relação aos que não podem usar o mesmo tipo de roupa que uso, os das marcas e grifes caras etc

Contudo, havia no seio da comunidade cristã daquela época, outros tipos de “roupas” que iam além do tecido, das sedas: era uma vestimenta que não era condizente com os novos cristãos, tais como as “roupas” do orgulho, da vaidade, do egoísmo, da ganância, da maldade, da falta de paciência, é um “guarda-roupa diferente...”

Outro guarda-roupa está à disposição do povo de DEUS. JESUS, que sempre vestiu as roupas certas, as da misericórdia, abriu-o para nós. Ele as vestiu até o fim, até a sua morte, sem jamais tirá-las.” (Nestor Duenes).

O que se é contribui muito mais para a nossa felicidade do que o que se tem.” (Arthur Schopenhauer).

Quanto mais é abundante o supérfluo, tanto mais falta o essencial.” (L. de Lenval)

Vocês são o povo de DEUS. ELE os amou e os escolheu pra serem DELE. Portanto, vistam-se de misericórdia, de bondade, de humildade, de delicadeza e de paciência” (Carta de São Paulo aos Colossenses – 3,12).

sábado, 26 de março de 2011

Moçambique: criatividade e um brinquedo...

Moçambique.... Coisas do Cotidiano, material reciclável, criatividade e um brinquedo...

Realidades e costumes...  Na periferia de Maputo, bagamoyo encontrei algo criativo, com material reciclável crianças desenvolvem seus brinquedos: recipiente de margarina, de suco a vácuo, tampinhas de garrafa Pet e muita criatividade... 


a











CATEQUESE NO ORATÓRIO FESTIVO SÃO LUIS ORIONE

CATEQUESE NO ORATÓRIO FESTIVO SÃO LUIS ORIONE

No dia 16 do corrente mês teve iníco o primeiro dia da Catequese de 1ª Eucaristia, realizada com as crianças que participam do Oratório Festivo São Luis Orione. Houve a presença de (17) dezessete crianças, e as mesmas estavam anciosas para iniciarem a Catequese. Foi muito proveitoso, pois ficaram atentas ao conteúdo, o qual falamos sobre JESUS o nosso Salvador e MARIA, mulher forte e corajosa que deu o seu SIM a Deus Pai. Veja as fotos!




sexta-feira, 25 de março de 2011

CNBB divulga mensagem pela beatificação de João Paulo II


CNBB divulga mensagem pela beatificação de João Paulo II

joao-pauloiiA Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou, hoje, 25, uma mensagem pela beatificação do papa João Paulo II, que ocorrerá no dia 1º de maio, em Roma. A mensagem foi aprovada pelo Conselho Permanente da entidade, reunido em Brasília desde quarta-feira, 23. A reunião terminha hoje, ao meio dia.
Na mensagem, a CNBB exalta as virtudes de João Paulo II, lembrando suas três visitas ao Brasil. “Entre nós, ele foi carinhosamente acolhido e aclamado como ‘João de Deus’”, recorda a mensagem.
Segundo a CNBB, João Paulo II foi marcado pela espiritualidade da cruz que “o acompanhou na experiência da orfandade e da pobreza, nas atrocidades da guerra e do regime comunista, mas principalmente no atentado sofrido na Praça de São Pedro”.
A CNBB destaca, ainda, o empenho do papa na defesa da vida e da família. “O mundo inteiro foi edificado pelo seu empenho em favor da vida, da família e da paz, dos direitos humanos, da ecologia, do ecumenismo e do diálogo com as religiões”, diz a mensagem.
Leia, abaixo, a íntegra da mensagem.

Mensagem da CNBB

Por ocasião da beatificação do Papa João Paulo II

“Deus nos chamou à santidade” (1 Ts 4,7)
conselhopermanentemembrosA Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) dirige-se aos católicos e a todas as pessoas de boa vontade para manifestar sua alegria e gratidão a Deus pela beatificação do Servo de Deus, João Paulo II, no próximo dia primeiro de maio. O Papa João Paulo II amava muito o Brasil e visitou nosso País por três vezes. Entre nós, ele foi carinhosamente acolhido e aclamado como “João de Deus”.
A beatificação nos incentiva a aprofundar nossa vocação universal à santidade. Na sua primeira mensagem, ele convidou a todos: “abri as portas a Cristo Jesus!” Sua vida foi um testemunho eloquente de santidade, pela grande fé, amor à Eucaristia, devoção filial a Maria e pela prática do perdão incondicional. A Palavra de Deus foi por ele intensamente vivida e anunciada aos mais diferentes povos. A espiritualidade da cruz o acompanhou na experiência da orfandade e da pobreza, nas atrocidades da guerra e do regime comunista, mas principalmente no atentado sofrido na Praça de São Pedro. De maneira serena e edificante, suportou as incompreensões e oposições, as limitações da idade avançada e da doença.
O mundo inteiro foi edificado pelo seu empenho em favor da vida, da família e da paz, dos direitos humanos, da ecologia, do ecumenismo e do diálogo com as religiões. Revelou-se um grande líder mundial, um verdadeiro “pai” da família humana. Pediu várias vezes perdão pelas falhas históricas dos filhos da Igreja. Ele mesmo foi ao encontro do seu agressor, na prisão, oferecendo-lhe o perdão. Pela encíclica Dives in Misericordia e na instituição do “Domingo da Divina Misericórdia”, manifestou seu compromisso com a reconciliação da humanidade.
Foi um papa missionário. Numerosas viagens apostólicas marcaram seu pontificado e incentivaram, na Igreja, o ardor missionário e o diálogo com as culturas. No Grande Jubileu conclamou e encorajou a Igreja a entrar no terceiro milênio cristão, “lançando as redes em águas mais profundas”. Afirmou e promoveu a dignidade da mulher; ampliou o ensino Social da Igreja e confirmou que a promoção humana é parte integrante da evangelização. Valorizou os meios de comunicação social a serviço do Evangelho. A todos cativou pelo seu afeto e sensibilidade humana; crianças, jovens, pobres, doentes, encarcerados e trabalhadores foram seus preferidos.
O Papa João Paulo II estimulou, especialmente, as vocações sacerdotais, religiosas e missionárias. Aos sacerdotes dirigiu, todos os anos, na Quinta-Feira Santa, sua Mensagem pessoal. Leigos e consagrados foram valorizados e encorajados nos Sínodos a eles dedicados, para promover sua dignidade, vocação e missão na Igreja.
Convidamos, portanto, todo o povo a louvar e agradecer a Deus pela beatificação do Papa João Paulo II. “O Brasil precisa de santos”, proclamou ele na beatificação de Madre Paulina. Sensibilizados por essas palavras, confiamos à sua intercessão a santificação da Igreja e a paz no mundo. Fazemos votos de que seu testemunho e seus ensinamentos continuem a animar a grande família dos povos na construção de uma convivência justa, solidária e fraterna, sinal do Reino de Deus, entre nós.
Brasília, na Solenidade da Anunciação do Senhor,
25 de março de 2011
Dom Geraldo Lyrio Rocha
Arcebispo de Mariana
Presidente da CNBB
Dom Luiz Soares Vieira
Arcebispo de Manaus
Vice-Presidente da CNBB
Dom Dimas Lara Barbosa
Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro
Secretário-Geral da CNBB

Siderópolis Recorda...

No dia 25/03/1956, no mesmo dia de Nossa Senhora da Anunciação, foi lançada a pedra fundamental do Seminário São Pio X, na presença do Bispo Dom Anselmo Pietrulla e o Provincial, Pe. Giovanni Valdástico Patarello.
Recordamos hoje seus 55 anos de existência no município de Siderópolis/SC, agradecemos sempre a todas as pessoas, entes queridos, Padres, Seminaristas, Religiosos, Amigos, entre tantos que por aqui passaram entre nós, em especial aos Padrinhos e Madrinhas que não medem esforços para ajudar e rezar pelas vocações.

ONU: Dom Oscar Romero inspira novo dia internacional

ONU: Dom Oscar Romero inspira novo dia internacional
Celebração assinala violações dos direitos humanos, pela dignidade das vítimas
Lisboa, 24 Mar (Ecclesia) – O cardeal salvadorenho Oscar Romero (1917-1980) inspira a celebração do novo dia internacional da ONU, hoje assinalado, pelo direito à verdade no que se refere às violações flagrantes dos direitos humanos e pela dignidade das vítimas.
Esta jornada celebra-se hoje pela primeira vez, após uma decisão da assembleia geral das Nações Unidas tomada a 21 de Dezembro de 2010.
“Ao iniciarmos esta celebração internacional, reconheçamos o papel indispensável da verdade para sustentar os direitos humanos e empenhemo-nos em defender o direito à verdade ao prosseguirmos a nossa missão global dos direitos humanos”, assinala o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, na sua mensagem para este dia.
A escolha do dia 24 de Março evoca o assassinato de D. Oscar Romero na capela do Hospital da Divina Providência, na capital de El Salvador, em 1980, quando foi morto com um tiro no coração enquanto celebrava Missa.
Segundo a ONU, esta data pretende reconhecer “o importante trabalho e os valores do arcebispo Oscar Arnulfo Romero, de El Salvador, que foi assassinado a 24 de Março de 1980, depois de denunciar violações de direitos humanos das populações mais vulneráveis e defender os princípios da protecção da vida, da promoção da dignidade humana e de oposição a qualquer forma de violência”.
D. Oscar Romero nasceu em Ciudad Barrios, no dia 15 de Agosto de 1917, sendo ordenado sacerdote em Roma, a 4 de Abril de 1942.
No dia 3 de Fevereiro de 1977 foi nomeado bispo da arquidiocese de San Salvador, tendo ficado célebres as suas homilias de Domingo para denunciar os massacres e defender os agricultores pobres e indefesos.
Pelo seu apostolado em favor da paz e dos direitos humanos foi nomeado para o Prémio Nobel da Paz em 1979. (Fonte Agência Ecclesia)

quinta-feira, 24 de março de 2011

Notícias atualizadas do Japão

Força JapãoForça Japão

Amanhã Celebremos a Festa de Nossa Senhora da Anunciação

Nossa Senhora da anunciação é Padroeira da Província Sul
Anunciação do Senhor
Neste dia, a Igreja festeja solenemente o anúncio da Encarnação do Filho de Deus. O tema central desta grande festa é o Verbo Divino que assume nossa natureza humana, sujeitando-se ao tempo e espaço. 

É o dia em que a eternidade entra no tempo ou, como afirmou o Papa São Leão Magno: "A humildade foi assumida pela majestade; a fraqueza, pela força; a mortalidade, pela eternidade."

Com alegria contemplamos o mistério do Deus Todo-Poderoso, que na origem do mundo cria todas as coisas com sua Palavra, porém, desta vez escolhe depender da Palavra de um frágil ser humano, a Virgem Maria, para poder realizar a Encarnação do Filho Redentor:

"No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem e disse-lhe: ‘Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo.’ Não temas , Maria, conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Maria perguntou ao anjo: ‘Como se fará isso, pois não conheço homem?’ Respondeu-lhe o anjo:’ O Espírito Santo descerá sobre ti. Então disse Maria: ‘Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra’" (cf. Lc 1,26-38).