terça-feira, 16 de março de 2010

CF Ecumênica 2010



"Na origem do dinheiro está a cunhagem de moedas, inventada para facilitar e favorecer as trocas em espécie, o que tradicionalmente foi chamado de escambo. O rei de Lídia, por volta dos séculos VIII e VII a.C., em região próxima da antiga Grécia, ficou conhecido como o primeiro a cunhar moedas. Entretanto, a circulação de moedas, durante muito tempo, permaneceu restrita às cidades e ao ambiente do comércio realizado nos meios urbanos. As comunidades humanas continuaram a viver segundo o escambo, trocando seus produtos e serviços segundo o valor de uso ditado pelas necessidades do cotidiano.

Mesmo com a cunhagem de metais preciosos (a princípio ouro, prata, cobre e bronze), que introduziu valores monetários previamente estipulados em unidades diversificadas, facilitando as trocas comerciais, as relações entre os camponeses produtores em economias de subsistência com pouca ou quase nenhuma produção de excedente, continuaram a ser dominadas pelo escambo.
(...) em comunidades menos complexas (tribais, autóctones e indígenas), o sistema das trocas em espécie funciona até hoje." ('Vida Pastoral', março-abril de 2010, p. 14).

Um comentário:

Cicera disse...

Muito cultural e bacana texto. Aqui em Tocantins existe algumas feiras de escambo onde pequenos produtores trocam o que colhem da terra e tudo mais que você puder imaginar... É bem diferente.